A ORIGEM DO UNIVERSO

A eternidade não tem princípio de dias e nem fim de milênios. O Universo não tem origem e nem destino, tempo e nem espaço. O Grande Deus do Universo, o Centro da Energia Universal, não tem princípio de dias, fim de milênios, origem, destino, tempo e nem espaço.
No passado remoto o Universo era uma luz infinita, oriunda do próprio Deus. Não havia escuridão. Deus nos tinha como energias puras, mas sem identidade, individualidade ou personalidade, foi quando decidiu nos prover meios de evolução, pois até então, éramos centelhas Divinas. Fazíamos parte da composição da Sua infinita glória. Éramos partículas da Sua luz que brilhava. Antes da formação da matéria Deus criou tudo o que é imaterial, de centelhas Divinas passamos a ser espíritos e todas as outras energias sutis e vitais também foram criadas, mas nada que é material foi criado por Ele, pois nenhuma matéria suporta a grandeza da Sua glória.

Depois que criou todas as energias sutis e vitais, criou também muitos espíritos especiais que foram agraciados com maiores porções Dele, aos quais chamou de Seus primeiros filhos, os Semideuses, cujos espíritos são envoltos numa silhueta Divina. Estes são maiores do que os seres espirituais, pois já surgiram com conhecimentos e poderes advindos de Deus. Aos Semideuses foi ordenado que criassem a matéria. Assim surgiram os Planetas e todos os corpos celestes, mas devido ao fato de a matéria sucumbir diante da glória Divina, o Grande Deus do Universo, concentrou em Si a Sua luz e o espaço infinito tornou-se escuro, foi quando os Semideuses criaram os incontáveis Sóis.

Habitando Planetas distantes, constituídos de matérias incorruptíveis, os Semideuses tinham a missão de prover meios para o desenvolvimento da nossa essência, e uma das condições básicas seria a mortalidade, pois até então, todos éramos tão somente espíritos. A Terra foi apenas uma das Suas infinitas criações, alguns Semideuses criaram os vegetais e neles conectaram a energia vital, outros criaram os animais e neles conectaram a energia vital, e assim muitos Semideuses dividiram as tarefas na criação dos invólucros físicos para abrigarem as energias sutis, assim deu-se com tudo o que há sobre a face e no interior do nosso Planeta.

Antes de criarem os invólucros que seriam os nossos corpos físicos, criaram os animais, que por não serem dotadas de razão, simplesmente teriam que cumprir a missão sagrada de harmonizar o Planeta, sem a necessidade de buscar por evolução espiritual, como acontece também com as plantas. Portanto, os animais e os vegetais são servos dos Semideuses, concebidos para fazer parte da sustentação dos Planetas que foram criados para a evolução das criaturas de Deus.

A Terra, na sua juventude, era inóspita para a vida humana, então os Semideuses criaram muitas diferentes feras que foram importantes para o amadurecimento e preparação do Planeta. A formação da Terra teve importante participação dos animais e vegetais, os quais interferiam no equilíbrio das espécies, consequentemente interferindo também na própria constituição da matéria formadora do Globo.

Entre as feras existiam animais extremamente grandes, os quais conhecemos como dinossauros, cujas ossadas ainda são encontradas até os dias atuais. A presença de dinossauros na face da Terra, impedia que a raça humana surgisse, pois se houvesse humanos naqueles tempos, eles serviriam apenas de alimento para as feras gigantes. Como o principal objetivo dos Semideuses era desenvolver corpos físicos que nos permitissem a experimentação de diferentes sensações e emoções advindas da mortalidade, em certo momento tomaram vários corpos celestes e desviando-os de suas rotas, permitiram que atingissem a Terra, o que causou um enorme colapso, matando instantaneamente bilhões de animais e tornando inviável a vida dos dinossauros que sobreviveram, pois houve grande escassez de alimento e água e em poucos anos nenhuma fera gigante pôde ser vista com vida.

Passados muitos milênios, os Semideuses decidiram que já era hora de implantar o homem sobre a face da Terra, foi quando geraram os seus corpos físicos ainda no mundo superior, mas tais corpos não tinham vida. Corpos de milhares de homens e mulheres foram colocados em nosso Planeta e cada um teve o seu espírito conectado, e naquele momento abriram os seus olhos como seres mortais, totalmente ignorantes sobre suas origens, eram, portanto, seres sem passado, sem linguagem, sem conhecimento, mas dotados de  instinto, intuição e dispositivos naturais para a preservação e desenvolvimento da sua espécie.

Como detentores da capacidade de raciocinar, reinaram sobre os demais seres, perceberam haver água, cavernas, animais e plantas e tudo o que lhes seria necessário para a manutenção da vida. Viam os pássaros comendo e assim colhiam frutos e os comiam, viam as feras caçando suas presas e assim aprenderam a caçar e a comer animais e peixes.
Viviam em harmonia, apesar da ignorância, e assim começaram a desenvolver métodos de comunicação através de gestos, sinais, e aos poucos os sons, sem sentido, foram se transformando nas primeiras palavras, que conforme os grupos cresciam e se afastavam, eram repetidas e adquiriam novos sons e interpretações, desta forma começavam a surgir os variados dialetos.

Os Semideuses agradaram a Deus em Suas obras, e assim iniciou-se a história da vida humana sobre o Planeta Terra.
Os humanos sempre sentiram intuitivamente que não haviam surgido do nada e que por serem criaturas, deveriam ser gratos ao seu Criador, assim começaram a surgir maneiras diferentes de manifestação da sua gratidão e respeito aos Semideuses e ao Deus Supremo, supuseram poder elevar a voz e serem ouvidos, fazer oferendas e estas servirem de demonstração de respeito e agradecimento, desta maneira surgiram as mais variadas formas de religiosidade.

O homem mortal, embora ignorante, mantinha a sua centelha Divina que o conectava aos seus Criadores. Os Semideuses que criaram o nosso Planeta, ouviam as preces repletas de pedidos e agradecimentos, mas não podiam interferir na liberdade individual e nem determinar destinos às Suas criaturas, pois tudo lhes foi dado, caberia ao homem administrar os recursos que tinha e conquistar a sua própria glória.

Muito antes de o homem habitar a Terra, infinitos Planetas foram criados e neles colocadas diferentes espécies de vida, as quais evoluíram até tornarem-se capazes de realizar prodígios, como viajar distâncias imensuráveis entre os incontáveis Corpos Celestes. Muitas destas espécies já nos visitaram, mas sempre procurando não interferir no ritmo do nosso processo evolutivo.

Ao longo da história da civilização, inúmeras catástrofes aconteceram, e muitas vezes elas foram creditadas a Deus ou aos Semideuses, mas saibam todos que jamais houve qualquer tragédia, guerra, destruição, terremoto, furacão, tempestade, tsunami, inundação, praga, peste, e demais acontecimentos lastimosos, que tenham sido provocados pelos Seres Superiores, tudo o que acontece em nosso Planeta é devido às circunstâncias naturais ou por interferência dos humanos, os quais, por ignorância, muitas vezes semeiam ervas daninhas no lugar de alimentos saudáveis. 

Somos os únicos responsáveis pelas experiências pelas quais passamos, cabe a nós saber tirar proveito delas para o nosso crescimento.
As únicas vezes que os Semideuses interferiram em nosso Planeta, foram na sua criação, na implantação de tudo o que nele há e na destruição dos animais gigantes, depois disso, a obrigação de cuidar dele passou a ser nossa.
Este Planeta, assim como todos os outros, continuará passando por fases, o que sempre exigirá que os seus habitantes se adaptem às novas realidades e ele somente deixará de existir depois de ter cumprido o seu papel no plano Celestial, portanto, a Terra somente chegará ao seu fim quando não for mais necessária como abrigo para as criaturas dos Semideuses.

Eduardo de Paula Barreto
04/04/2013