CRESCIMENTO INTERIOR

Desde a fundação do Mundo a Terra tem se deteriorado passando por ciclos constantes de variação de temperatura, acomodação do solo, extinção e surgimento de diferentes espécies animais e vegetais, etc, mas sempre acaba se adaptando às novas condições e se regenerando.
Embora sempre se recupere, isto não evitará o seu fim, pois é matéria finita.

Com relação à espécie humana, não verificamos o mesmo avanço, pois o homem continua com os mesmos defeitos e virtudes ao longo dos séculos, chegando a parecer que os defeitos têm ficado mais evidentes a cada dia.
Na tentativa de promover crescimento espiritual, muitos se associam às organizações religiosas e passam a viver sob princípios e dogmas considerados sagrados.
Enquanto praticam os seus rituais, criam e nutrem preconceitos contra os demais cidadãos que não têm as mesmas convicções ou esperanças, surgem assim, variados grupos que pregam um amor condicional, e baseando-se na fé, têm atitudes que separam ao invés de unir, afastam, ao invés de aglutinar, matam o amor incondicional, ao invés de alimentá-lo.

Os líderes das igrejas tiram proveito das carências dos fiéis e os convencem a agradar a Deus através da doação de bens e dinheiro. Os fiéis passam a buscar por Deus nos templos, quando na verdade poderiam encontrá-Lo dentro de si mesmos, pois basta nos desligarmos da pequenez da carne e nos concentrarmos na força do poder advindo do Universo, para podermos sentir os afagos de Deus.
Ele não se manifesta em igrejas, templos ou lugares sagrados, o Seu maior Templo encontra-se construído na essência de tudo o que Ele criou, nas Suas criaturas sem fim.

Somos Templos de Deus, e em nós Ele habita, somos Sua extensão por sermos parte Dele. Por isso qualquer manifestação que promova a restrição do amor incondicional e iniba os verdadeiros princípios Divinos, deve ser ignorada, mesmo que sejam manifestações gravadas na Bíblia e nos demais livros considerados sagrados.
Qualquer ensinamento considerado santo e que não pregue a união das pessoas, sem preconceitos, e o respeito por todos e tudo o que nos cerca, deve ser extirpado da mente humana, pois não provém de Deus.

O maior dos princípios sagrados é o amor incondicional que produz o convívio harmonioso. É saudável saber que todos temos diferentes maneiras de encarar a existência e a plena liberdade para crer naquilo que quisermos.
A verdadeira religiosidade manifesta-se no convívio harmonioso e na tolerância diante das diferentes opiniões. Todas as pessoas estão corretas dentro dos seus pontos de vista, e se acaso estiverem equivocadas, deixe-as aprender a corrigir as suas rotas através dos seus próprios plantios e colheitas. Se não podemos regar os jardins dos nossos irmãos, que pelo menos não pisemos nas plantas que crescem.
 
Infelizmente a nossa sociedade avalia as pessoas pelo poder financeiro que elas têm, quando na verdade o critério de avaliação deveria ser a busca pelos valores que elas possuem, como caráter, principios e demais características interiores.
Há pobres nas sarjetas que têm espíritos nobres e nobres nos palácios, que têm espíritos pobres. Todos, indistintamente, devem ser amados e instruídos para conseguirem evoluir até adquirirem grandeza real, aquela grandeza que supera os limites dos cemitérios.
Como criaturas de um Deus, que sejamos cientes da necessidade de nos aprimorarmos para desenvolvermos em nossos espíritos, características celestiais.

Eduardo de Paula Barreto
21/03/2013